5ª Caminhada Rosa de Simões Filho diz não à Discriminação

O Grupo Contra o Preconceito de Simões Filho já criou um evento no Facebook para anunciar data e tema da manifestação de 2015, que chega à sua 5ª edição na cidade de Simões Filho. No dia 26 de abril, às 15h, na já tradicional Avenida Elmo Sereno Farias sob o tema:
"Ser diferente não é um problema, o problema é ser tratado diferente".
A diretriz do evento, de acordo com a organização, é a alegria de viver as diferentes identidades, orientações sexuais e o respeito à diversidade. Lutar pela discriminação, preconceito e pela intolerância. Ainda segundo a organização, o tema da Caminhada de 2015 busca fazer uma reflexão sobre as varias formas de discriminações as minorias.

Serviço:
5ª CAMINHADA ROSA DE SIMÕES FILHO 2015
Tema: "Ser diferente não é um problema, o problema é ser tratado diferente".

Data: 26 de abril de 2015
Concentração: a partir das 14hs na entrada do Colégio Polivalente -CIA II
Realização Grupo Contra o Preconceito (GCP)
Apoio: Prefeitura  de Simões Filho e Fórum Baiano LGBT
Contato: grupocontrapreconceito@yahoo.com.br
(71)92355101/81225149-Rafael  ou  (71)93114425-Rosa

Papa Francisco pede para almoçar com presos gays, transsexuais e portadores de HIV

papa
O papa Francisco pediu para almoçar no último sábado (21) com 90 prisioneiros de uma cadeia próxima a Nápoles, na Itália, entre eles gays, transsexuais e portadores de HIV. O encontro não estava no cronograma, segundo reportou o canal Tv2000, operado por bispos italianos, mas o papa fez esse pedido especial e abriu espaço na agenda.
A atitude não é nova. Semanas depois de ser escolhido papa, o argentino lavou os pés de muçulmanos e mulheres encarceiradas. Nesta sexta-feira (20), ele também reiterou o posicionamento da Igreja Católica contra a pena de morte. Nas palavras dele, a execução é “inadmissível, independentemente de quão grave for o crime”, segundo a Time.

Conferências Nacionais dos Direitos Humanos serão realizadas em dezembro de 2015

ministra

Entre 7 e 11 de dezembro de 2015, o Brasil realizará as Conferências Nacionais Conjuntas dos Direitos Humanos. A portaria assinada pela ministra Ideli Salvatti da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), que convoca a conferência, foi publicada nesta segunda-feira (29), no Diário Oficial da União. Confira aqui a Portaria que trata sobre o tema.

As Conferências Nacionais Conjuntas de Direitos Humanos incluem a 10ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, a 4ª Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa, a 3ª Conferência Nacional de Políticas Públicas de Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – LGBT, a 4ª Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, bem como a 12ª Conferência Nacional de Direitos Humanos. Todas serão realizadas em um mesmo local.


De acordo com a portaria, será instituído um Comitê Executivo, composto por 16 membros titulares, que cuidará da articulação entre as comissões organizadoras de cada uma das conferências temáticas.

Entre as atividades que competem ao Comitê estão a elaboração do regulamento de funcionamento das Conferências Nacionais Conjuntas, que conterá, dentre outros, sua programação e metodologia de operacionalização, respeitados os Regimentos Internos elaborados pelos respectivos Conselhos e as especificidades de cada uma das Conferências Temáticas; a apresentação à SDH/PR das demandas para operacionalização do evento, que ficarão condicionadas às disponibilidades econômicas e administrativas do Órgão; a elaboração de proposta de divulgação e de estratégias de comunicação; e a elaboração de orientações aos estados e municípios sobre as Conferências Nacionais Conjuntas.

A 11ª Conferência Nacional de Direitos Humanos foi realizada em 2008 e produziu um amplo debate sobre a revisão e atualização do 1º Programa Nacional dos Direitos Humanos (PNDH).

Programa Nacional dos Direitos Humanos-O PNDH-3, instituído pelo Decreto nº 7.037, de 21 de dezembro de 2009, e atualizado pelo Decreto nº 7.177, de 12 de maio de 2010, apresenta as bases de uma Política de Estado para os direitos humanos e é marcado pela indivisibilidade e interdependência de seus dispositivos, estruturando-se em torno de Eixos Orientadores, Diretrizes, Objetivos Estratégicos e Ações Programáticas.

Fonte: SDH/PR